Ex-ministro do STF, Rezek lamenta morte e defende Celso de Mello como sucessor

  • Por Jovem Pan
  • 20/01/2017 07h33
Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federa Francisco Rezek lamentou a morte de Teori Zavascki em acidente aéreo nesta quinta-feira (19).

“Era um homem extremamente discreto. Não era dessas pessoas que jogam charme para todos os lados. Apesar de postura discreta e sóbria, era um homem que encantava aqueles que o acompanhavam de perto. Foi uma perda inestimável”, disse.

O ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki morreu no acidente do avião que caiu nesta quinta-feira (19) nas proximidades de Paraty, no Rio de Janeiro.

A aeronave partiu do Campo de Marte (SP) e ia para o Rio de Janeiro com quatro passageiros a bordo. A informação da morte do magistrado foi confirmada pelo filho dele pelo Facebook. Antes, o filho de Zavascki havia confirmado a presença do pai no voo e pediu para os amigos para “rezarem” pela sobrevivência do ministro.

Andamento da Operação Lava Jato

Para Rezek, a tarefa do presidente da República e do Senado para a escolha de um sucessor para o cargo de Teori não será fácil. “Eles têm a obrigação de trabalhar no sentido de que a vaga seja preenchida no mínimo de correspondência aquilo que nos foi tirado”, ressaltou.

“A tarefa de Michel Temer e do Senado não é fácil, mas os processos não podem ficar parados. É fundamental o Supremo prover ali mesmo a substituição do falecido ministro”, afirmou.

Rezek defendeu o nome de Celso de Mello, revisor da Lava Jato no Supremo, que seria a segunda pessoa que mais sabe sobre o caso na Corte. “Se se precipita a redistribuição confiando na roleta da sorte e ficamos dependendo da dança de bolinha, o resultado pode ser caprichosamente perverso”, ponderou.

“Se o Tribunal fizesse com que o revisor, que é Celso de Mello, que é quem conhece os processos, aquele que mais conhece depois do relator falecido, isso vai ser sucessão natural e aceita por todos com o melhor dos espíritos”, finalizou.