Farmácias aguardam norma para oferecer atendimentos clínicos e vacinas

  • Por Jovem Pan
  • 04/11/2016 08h14
Anvisa obriga farmácias a ficarem com via da receita apresentada para a compra de antibióticos

Setor farmacêutico aguarda norma da Agência Nacional de Vigilância Sanitária para oferecer atendimentos clínicos e vacinas. Grandes redes do setor já se preparam com espaços para atender a população e esperam que as regras saiam até o final do ano.

Sergio Mena Barreto, presidente-executivo da Abrafarma, explica que já existem regras municipais e estaduais Brasil afora.

No entanto, há a necessidade de marco regulador federal para impor padrão aos procedimentos. Esta propositura, segundo Sergio Mena Barreto, é importante para o setor e já existe em outros países.

Assim, segundo o executivo, seria popularizado o acesso à saúde por pessoas que muitas vezes não têm essa chance. “A farmácia, no munod inteiro, traz isso de identificar riscos, problemas de saúde e eacompanhar a doença”, disse.

Setores médicos, por sua vez, concordam que a saúde é multiprofissional, mas veem com ressalvas onde pode ir a atuação de cada área.

Florisval Meinão, presidente da Associação Paulista de Medicina, defendeu a atuação dos médicos: “mas não tem dúvida nenhuma que o diagnóstico de doença e proposta terapêutica, o único profissional que tem formação para tratar dessa questão é o médico”.

Medidas como a que está em análise na Anvisa, fogem às áreas que os profissionais realmente devem atuar.

Segundo Florisval, há preocupação em como isso impactaria na saúde da população e quais riscos traria. “A partir do instante que outros profissionais se aventuram adentrar neste terreno, com toda certeza eles colocarão pessoas em risco”, afirmou.

Abril era o prazo dado pela Anvisa para resolver a questão, mas houve adiamento após avaliar que seria preciso uma nova resolução. Procurada pela reportagem, a Anvisa, em nota, informou que não há novidade sobre o assunto.

*Informações do repórter Fernando Martins