Fim da obrigatoriedade da Petrobras no pré-sal deve atrair investidores ao País

  • Por Jovem Pan
  • 11/11/2016 08h07
Petrobras logo

O fim da exclusividade da participação da Petrobras na exploração do pré-sal deve atrair investidores estrangeiros para o Brasil.

Na quarta-feira (09), a Câmara dos Deputados decidiu acabar com a regra que obrigava a empresa a ser a operadora única destes campos.

A mudança na lei foi defendida pela própria companhia, que está endividada e enfrenta uma grave crise financeira.

Para Newton Marques, membro do Conselho Federal de Economia, a estatal reconheceu que não era mais capaz de manter a exploração sem apoio externo.

“Se quisesse fazer a posição anterior era insustentável. A Petrobras se deteriorou e perdeu valor de mercado”, disse.

O economista ressaltou que a abertura à participação de empresas estrangeiras deve otimizar a capacidade produtiva do pré-sal.

O presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Jorge Camargo, classificou a medida como positiva, já que reduzirá as obrigações da Petrobras e da União.

Jorge Camargo acrescentou ainda que o pagamento de royalties pelos novos investidores ajudará a aumentar a arrecadação do governo brasileiro.

O diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura, Adriano Pires, afirmou que Estados como o Rio de Janeiro devem ser beneficiados.

Adriano Pires avaliou que a flexibilização das normas de exploração deve impulsionar os próximos leilões de áreas do pré-sal, previstos para 2017.

O texto aprovado pela Câmara dos Deputados nesta semana já passou pelo Senado e segue, agora, para sanção do presidente Michel Temer.

*Informações do repórter Vitor Brown