Foi crime mais institucional que de natureza pessoal, diz Temer sobre Beltrão

  • Por Jovem Pan
  • 06/10/2016 11h05
Marx Beltrão

Réu no Supremo Tribunal Federal acusado de falsidade ideológica, o deputado federal Marx Beltrão (PMDB-AL) foi nomeado nesta quarta-feira (05) para comandar o Ministério do Turismo.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan, o presidente Michel Temer minimizou a situação de seu ministro. “Ele não está envolvido na Lava Jato (…) Não foi como um crime de natureza pessoal, como o da Lava Jato. Foi um crime mais institucional”, disse.

Acusações contra o ministro

Beltrão responde a ação penal por crime de falsidade ideológica. Segundo denúncia feita pelo Ministério Público, ele teria fraudado informações sobre a dívida do município de Coruripe (AL), entre 2005 e 2012. Ele teria usado a Previdência como modo de impedir o bloqueio da transferência de recursos da União.

Nesta quarta, o novo ministro levou ao Palácio do Planalto documentos como forma de demonstrar que não tem responsabilidade em relação as denúncias.

Justificativa de Temer

“Eu esperei um tempo, embora convencido com toda franqueza de que esse pagamento impede qualquer condenação. Isso é tranquilo no Supremo Tribunal Federal. Mas esperei um tempo para ver se o caso dele seria julgado pelo Supremo, já que tendo sido ele eleito deputado, foi ao Supremo. Mas percebi que isso só vai se solucionar no ano que vem (…) Pensei que ele estava há muito tempo como ministro interino e vou nomear o Marx Beltrão”, disse o presidente.

Confira a entrevista completa: