Fortes chuvas causam alagamentos e deixam SP em estado de atenção

  • Por Jovem Pan
  • 16/01/2017 06h00
SP - CHUVA - GERAL - Chuva na região da Avenida Paulista em São Paulo (SP), neste domingo (15). 15/01/2017 - Foto: RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOChuva

Chuva forte provoca transbordamento de córregos e deixa em estado de atenção quase toda a cidade de São Paulo. As chuvas começaram por volta das 21h deste domingo (15) nas zonas Norte e Oeste, mas logo se espalharam pela cidade.

Inicialmente, às 23h15 minutos, o CGE, Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura, colocou em estado de atenção para riscos de transbordamentos de córregos, as áreas Central, Norte e Oeste, além das marginais do Tietê e Pinheiros.

Duas horas depois, já estavam na mesma situação as zonas Leste e Sudeste e as regiões de Santo Amaro e Cidade Ademar. Não demorou muito e o alerta foi dado na região do Jaçanã, com o transbordamento do Córrego Paciência no encontro entre as Avenidas Sanatório e Edu Chaves, no Parque Edu Chaves.

A situação piorou quando as águas de outro córrego que cruza a mesma região, o Tremembé, também deixaram o leito junto à Rua Garabed Gananian. Este mesmo córrego invadiu ruas do Jardim Joana, no Tucuruvi, derrubando um muro e alagando várias casas. Uma delas a do senhor Antônio Estevânio, morador de um sobrado da Rua João Alves Dias, que precisou se refugiar no andar de cima, com a mulher e o neto pequeno.

Na Zona Leste, região da Penha, o Córrego Franquinho também inundou as pistas da Avenida Dom Hélder Câmara. Segundo o CGE, foram registrados pelo menos sete pontos de alagamento intransitáveis em importantes vias da cidade, como a Marginal do Tietê, em vários pontos, a Rua 25 de Março e Avenidas Cruzeiro do Sul e do Estado, no Centro.

Os bombeiros atenderam chamados para socorrer pessoas ilhadas em bairros da Capital, de Osasco, Carapicuíba, Barueri, Guarulhos e Francisco Morato.

A chuva perdeu força no início da madrugada e a água começou a baixar nas áreas afetadas. De acordo com o CGE, os estados de alerta decretados foram suspensos pouco antes da uma hora da madrugada desta segunda-feira (16), e os de atenção, meia hora depois. Aos moradores prejudicados, resta agora limpar a lama e se desfazer do que foi destruído pela água.

*Informações do repórter Paulo Edson Fiore