Governadores esperam votar renegociação de dívidas, mas falta de quórum dificulta

  • Por Jovem Pan
  • 20/12/2016 07h28
Brasília - Plenário da Câmara dos Deputados encerrou a discussão do projeto de lei que cria medidas contra a corrupção (PL 4850/16) (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)Rodrigo Maia preside sessão da Câmara dos Deputados - ABR

Os governadores querem votar a renegociação das dívidas dos Estados, mas há dificuldade de quórum para aprovar o projeto que foi aprovado no Senado e voltou à Câmara.

A renegociação com situação especial para os Estados em calamidade fiscal esbarram nas divergências sobre as contrapartidas. Os Estados não teriam os bloqueios para o pagamento das dívidas, mas ficariam impedidos de novas contratações e não poderiam aumentar despesas e fazer promoções.

As medidas mexem nas corporações, que reagem, e provocam polêmicas.

O líder do Governo, deputado André Moura, avaliou uma negociação para garantir a aprovação: “não vamos ter quórum muito elevado, estamos calculando uns 300 deputados. Se tivermos destaques para votação nominal, com certeza a matéria vai cair”.

Os deputados resistem também ao controle dos Estados. O raciocínio é de que os governadores transfeririam para os deputados a responsabilidade e o ônus de fazer cortes e medidas impopulares.

*Informações do repórter José Maria Trindade