Governo anunciará faculdades que poderão abrir cursos de medicina

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2015 09h09
médico

 Após batalha judicial, governo federal deve anunciar nesta semana as universidades que poderão abrir novos cursos de Medicina no país.

O projeto inicial de criação de 2.290 vagas em 36 municípios sofreu contestação na Justiça da UNAESA de Rondônia, que pediu um prazo maior.

O governo teme que a divulgação das vencedoras provoque uma enxurrada de ações na Justiça de faculdades questionando a decisão.

O presidente da Associação Brasileira de Educação Médica, Sigisfredo Brenelli, explica que a dificuldade hoje em dia é um negócio chamado ensino superior: “No Brasil curso superior dá lucro. No mundo inteiro o curso superior que até pode ser privado, não visa o lucro como aqui, e as empresas perceberam isso”. Para o presidente da ABEM, o Brasil não tem infraestrutura suficiente para formar tantos médicos.

O Vice-presidente do Conselho Federal de Medicina, Jecé Brandão, diz que o maior problema da saúde não é a falta de médicos: “O sistema público de saúde não funciona adequadamente no país, não por falta de médicos, mas por falta de estrutura física, de material, de ambulatório, de gaze, esparadrapo, luvas, de enfermeiros, fisioterapeutas, bioquímicos. Falta tudo”.Jecé Brandão lembra que o Brasil investe 4% das riquezas em saúde, enquanto países com sistemas semelhantes ao SUS usam até 12%.

O anúncio das instituições que vão receber os cursos de Medicina que vão formar profissionais para o programa Mais Médicos está previsto para terça-feira (10/11/15).