Governo convoca o bolso do contribuinte para pagar as pedaladas fiscais, diz especialista

  • Por Jovem Pan
  • 06/11/2015 11h10
Dinheiro e finanças

 Segundo o professor do Insper, Alexandre Chaia, a situação é igual em toda casa onde as pessoas gastam acima da renda familiar: as pessoas cortam gastos e arrumam mais um emprego. Ele afirma que quando é o Governo que passa dos limites, ele manda a conta para a sociedade: “Esse é o triste da história, quando eu decido arrumar um segundo emprego para pagar contas, eu trabalho. Quando o governo decide arranjar um segundo emprego para pagar contas, é o contribuinte que paga. Ele não quer trabalhar mais ou ser mais eficiente, ele pensa ‘vou arranjar uma segunda pessoa que trabalhe e me dê o dinheiro’.”.

O especialista em contas públicas, Fábio Klein, afirma que o Governo foi obrigado a reconhecer os gastos a descoberto. Ele explica que foi a condição para a Comissão Mista de Orçamento aprovar a nova meta fiscal de 2015: “Para aprovar a nova meta que o governo quer fechar ao longo de 2015, que vai ser um déficit, era preciso saber o tamanho do rombo. Essa dúvida em relação ao passivo é que foi debatida e chegou-se à solução de que o valor seria de 57 bilhões de reais”.

Se o Governo fizer esse pagamento, o buraco nas contas referentes a 2015 podem subir para 120 bilhões de dólares. E os políticos e juristas vão discutir se houve um crime fiscal ou se foi tudo apenas descalabro administrativo.