Governo de SP pede antecipação da vacina de gripe para evitar surto no estado

  • Por Jovem Pan
  • 28/03/2016 08h42
Vacina

 A antecipação em quase três meses da gripe H1N1 em São Paulo tem provocado uma corrida desesperada s clínicas particulares de vacinação e às farmácias. No entanto, tanto a imunização contra a influenza quanto o medicamento Tamiflu quanto estão em falta no mercado.

O consultor de informática, Edgar Farias, rodou a cidade em busca do único remédio capaz de amenizar a febre e as dores no corpo dos dois filhos pequenos, gripados. Ele visitou as quatro AMAs que, segundo um site da prefeitura, tinham o Tamiflu disponível, mas não encontrou. “Quando você sabe que não tem tudo bem, mas o governo não sabe se tem ou não. Aí você fica rodando quilômetros e quilômetros. É um trabalho árduo e ingrato”. Edgar pagou R$ 197 pelo medicamento, em falta até nas farmácias comuns.

A circulação da gripe, três meses antes do previsto pegou de surpresa hospitais e prontos-socorros que ainda estão lotados por outros surtos como a dengue, zika e chikungunya. 

Nesta Segunda-feira (28/03), o secretário-estadual de Saúde, David Uip, vai pedir ao ministro da Saúde Marcelo Castro que abra uma exceção e antecipe o início da campanha nacional de vacinação contra gripe, prevista para o fim de abril.

A manobra é viável porque parte das doses já está pronta no Instituto Butantan. Outro caminho é comprar lotes prontos de laboratórios internacionais: “Eu entendo que nesse momento, não só tem que ser antecipada, como privilegiar as cidades como São Paulo, que tem uma incidência maior do que o esperado nessa época”.

O que preocupa as autoridades são os muitos casos do tipo grave. São Paulo já registrou ao menos 23 mortes por complicações respiratórias, que acometem principalmente idosos e crianças. E é aí que entra a preocupação dos pais com o Tamiflu, esclarece o pediatra Moises Cheinciski: “Ele melhora os sintomas, antecipa a evolução do quadro e previne a agravação desse quadro de síndrome respiratória aguda grave, mas vale lembrar que o que previne mesmo é a vacina”.

A vacina chamada “quadrivalente”, em falta até na rede particular, deve começar a chegar no fim desta semana às clínicas. Se encontrar com facilidade antes desta data, é preciso verificar se não são doses do ano passado, que não são eficazes para combater o vírus da gripe em circulação neste ano. Em nota, a secretaria de Saúde diz que há sim Tamiflu na rede municipal, mas não na dosagem indicada para crianças.

Informações: Carolina Ercolin