Governo do RJ muda tom e quer votar aumento em contribuição previdenciária

  • Por Jovem Pan
  • 12/05/2017 06h59
A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj)

Mudança de tom no projeto que prevê o aumento da contribuição previdenciária dos servidores do Estado do Rio de Janeiro. Nesta última quarta-feira (10), em Brasília, foi aprovado na Câmara, ainda falta o Senado que deve voltar na semana que vem, o projeto de lei que é o socorro fiscal aos Estados brasileiros que estão quebrados.

Um desses casos, talvez o mais notório, seja o Rio de Janeiro que está em calamidade financeira desde antes da Olimpíadas de 2016.

Antes da aprovação desse projeto de lei que ainda não passou pelo Senado, o governo do Estado do Rio de Janeiro vinha dizendo que as contrapartidas previstas neste socorro do Governo Federal só seriam colocadas em votação quando os salários dos servidores estivessem em dia.

No Rio de Janeiro há uma dificuldade tremenda para se regularizar a folha de pagamento. Não foi pago o décimo terceiro de 2016 e os salários mensais estão sendo pagos parceladamente para maioria das categorias.

O governador Luiz Fernando Pezão reiterou que só com os salários em dia colocaria o ponto mais polêmico do pacote de austeridade em votação na Assembleia Legislativa do Estado. O ponto prevê o aumento da contribuição previdenciária de 11% para 22%. Agora, o tom do discurso já mudou. Pezão vem articulando colocar em votação na Alerj esse projeto de lei mesmo com os salários atrasados.

*Informações do repórter Rodrigo Viga