Haddad deve terminar gestão sem mudanças nos redutos eleitorais do PT

  • Por Jovem Pan
  • 05/01/2016 09h47
SAO PAULO, SP,23.08.2015:CICLOVIA-Prefeito Fernando Haddad em coletiva na av. Bernardino de Campos onde ocorre na manha deste domingo (23) a inauguracao de novo trecho da ciclovia. (Foto: Dario Oliveira/Codigo19/Folhapress)Prefeito Fernando Haddad em coletiva na ciclovia na av. Bernardino de Campos

 Após campanha cheia de promessas, Fernando Haddad vai terminar a gestão sem transformações justamente nos redutos eleitorais do PT. Em 2012, o então candidato anunciava o Arco do Futuro, parcerias bilionárias com Dilma Rousseff, moradias, creches, hospitais e transporte. Agora, o prefeito justifica o não cumprimento com a crise econômica, o adiamento na elevação do IPTU e a tarifa congelada dos ônibus.

Em entrevista a Marcelo Mattos, o professor do Insper, Carlos Melo, aponta que Haddad ainda vai carregar o ônus dos escândalos de corrupção do PT: “Acresce também todos os gastos do PT em virtude do programa econômico, dos programas do governo federal e também das questões vinculadas à operação Lava Jato”.

Na campanha, Haddad prometeu 250 creches, CEUs, dois hospitais, 150 quilômetros de corredores de ônibus e 55 mil moradias populares.

O presidente do PT de São Paulo, Paulo Fiorilo, reconhece o desgaste político, mas acredita que o prefeito ainda pode mostrar o que vem fazendo: “O prefeito Fernando Haddad tem a possibilidade de apresentar durante a campanha uma quantidade enorme de ações que estão sendo realizadas, como os hospitais que estão sendo construídos em Parelheiros e Brasilândia e os CEUs que tiveram início no final do ano passado e que serão entregues no final de 2016”.

Após as manifestações, Fernando Haddad criou 390 quilômetros de faixas exclusivas de ônibus e espalhou ciclovias, longe da periferia da cidade.

O urbanista Flamínio Fishman destaca a necessidade dos 150 quilômetros de corredores que não saíram dos projetos e faz um balanço da gestão: “Infelizmente foi uma gestão de muitas promessas, de boas intenções e poucas realizações. Ficou muito aquém da expectativa e da necessidade da população”.

Das 243 creches prometidas como prioridade à periferia, Haddad entregou 34 em três anos de gestão e outras 57 estão sendo construídas. Das 55 mil unidades do programa federal Minha Casa, Minha Vida, apenas oito mil serão entregues em parceria com a Prefeitura de São Paulo.