Haddad passa recado de que vale a pena construir a ilegalidade, diz Andrea Matarazzo

  • Por Jovem Pan
  • 30/05/2014 19h43
Zanone Fraissat/Folhapress

A base aliada do prefeito Fernando Haddad na Câmara dos Vereadores sinalizou que a ocupação “Copa do povo”, na Zona Leste da capital, pode ser incluída entre as chamadas Zonas Especiais de Interesses Sociais.

Para falar sobre esse assunto, os Pingos nos Is convidou o vereador Andrea Matarazzo, do PSDB que, além de membro da Câmara, é presidente da Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente.

Segundo ele, com essa medida, o recado que o prefeito Fernando Haddad passa à sociedade é de que vale construír a ilegalidade. “Depois, muda-se a lei e traveste-se o ilegítimo de legítimo”, afirma. Matarazzo relembra a ocupação na Zona Sul da cidade, denominada de Nova Palestina. “O prefeito subiu num caminhão como um aluno rebelde e mandou a turma ir para a Câmara pressionar a legalização daquela área”, diz. “Agora os invasores viram que funciona.”

Questionado se os outros partidos foram avisados dessa iniciativa de incluir a área invadida no grupo de Zonas Especiais, Matarazzo afirmou que esse assunto nunca veio à tona nas reuniões da Comissão. “O que voce tem é a leitura na imprensa e, obviamente, a barderna que fizeram no entorno da Câmara”, diz.

Essa atitude deve atrasar a votação do Plano Diretor da cidade de São Paulo. “Houve uma ruptura na confiança da negociação. Desde o inicio nós combinamos que o Plano não poderia ser politizado”, afirma. “Com emendas desse tipo, vamos tentar barrar com todas as forças que tivermos para impedir que se votem essas barbaridades”, diz. “Até que consigamos convencer a maioria de que esse não é o caminho. O caminho é a discussão, o entendimento. Jamais o fato consumado em cima de uma ilegalidade.”