Homem que atirou contra integrantes do MP do RN se entrega à polícia

  • Por Jovem Pan
  • 27/03/2017 07h29
MP/Divulgação O atirador foi identificado como Guilherme Wanderley Lopes da Silva

O atirador que invadiu a sede do Ministério Público do Rio Grande do Norte, em Natal, e baleou duas pessoas deverá ser submetido a exames psicológicos. O servidor Guilherme Wanderley Lopes Silva, de 44 anos, se entregou espontaneamente à polícia e, agora, ficará preso preventivamente.

O autor do atentado ainda não esclareceu os motivos do crime, mas a defesa já solicitou um parecer médico, que comprove que ele não tem boas condições mentais. O ataque aconteceu na manhã de sexta-feira (24).

Guilherme invadiu uma reunião e baleou o procurador-geral de Justiça adjunto do Rio Grande do Norte, Jovino Sobrinho, e o promotor Wendell Beetoven.

Os dois passaram por cirurgias e não correm risco de morrer. Guilherme conseguiu fugir.

O procurador-geral de Justiça do Estado, Rinaldo Reis, que participava de uma reunião com os auxiliares, seria o alvo principal do atirador.

Ele contou que Guilherme entrou na sala, sem levantar suspeitas, e, de repente, passou a disparar.

Rinaldo Reis afirmou que não sabe o que poderia ter motivado Guilherme a cometer o crime.

Na carta deixada após o ataque, o servidor fez referência a atos administrativos da atual gestão do Ministério Público e disse que “alguém precisava fazer algo efetivo”.

Guilherme está detido em uma cela especial por ter curso superior e ser funcionário do Ministério Público e ficará preso por tempo indeterminado.

*Informações do repórter Vitor Brown