Incerteza política ocorre com economia parcialmente ajustada, diz ex-BC

  • Por Jovem Pan
  • 27/05/2017 10h58
Reprodução/Youtube Carlos Langoni

Em entrevista exclusiva a Denise Campos de Toledo, o ex-presidente do Banco Central Carlos Langoni disse reconhecer que o fator político voltou a dominar a percepção de Risco Brasil na economia brasileira, mas ressaltou que continua com uma visão positiva de que o País continuará no caminho de saída da recessão.

“Precisamos reconhecer que o fator político voltou a dominar a percepção de Risco Brasil, que voltou a alimentar a onda de incerteza que parecia superada. No meu ponto de vista, temos o fator favorável de que esse choque político está ocorrendo com a economia já parcialmente ajustada”, disse.

Com o Governo em crise e o presidente envolvido em acusações sérias no exercício do mandato, a incerteza política atinge a economia, inclusive, as reformas propostas, como as da Previdência e trabalhista.

Questionado sobre a gravidade da política atingir a reforma previdenciária, por exemplo, Langoni explicou: “é uma situação nova, cria um desconforto e, de certa forma, gera reversão de expectativas. Agentes econômicos estavam apostando que a consolidação fiscal seria completada ainda neste ano. Neste cenário de não haver aprovação da reforma da Previdência, acho que crescimento continua bem modesto. Saímos da recessão, teremos crescimento em torno de 0,5%, mas não teremos saldo que imaginávamos de 3% em 2018. Isso ficaria adiado para 2019.