“Indústria de multas” em SP cresce 43% no primeiro bimestre do ano

  • Por Jovem Pan
  • 26/03/2016 11h31
CET

“Indústria de Multas” em São Paulo cresce 43% no primeiro bimestre do ano na contramão do setor produtivo do Brasil. Em 2015, a indústria de transformação registrou queda de 8% na produção, o que ajuda a explicar o recuo de 4% do PIB.

No entanto, no mesmo período, as infrações de trânsito na capital seguiram o movimento positivo de 13% em valores reais. Somente em janeiro e fevereiro houve elevação 43%, de R$ 150 milhões para R$ 215 milhões, em relação ao igual período do ano anterior.

A análise ressaltou que a queda de velocidade nas vias da capital, implementada pela Prefeitura, contribuiu para a alta das multas.

O vereador Gilberto Natalini (PV) fez um levantamento com dados oficiais e confirmou a existência da “indústria de multas”. “As pessoas não conseguem se orientar. Muitas vezes o motorista quer andar dentro da lei, mas a própria sinalização, a própria armadilha que o governo municipal coloca acaba fazendo com que as pessoas errem. Aí o radar está ali em cioma para multar”, disse. Para ele, com o intuito de arrecadar mais, o prefeito Fernando Haddad adotou medida de efeito imediato e sem praticamente investimento.

Em entrevista a Marcelo Mattos, o consultor em trânsito, Flamínio Fishman, disse que a fiscalização é fundamental, mas dentro de parâmetros adequados. “O objetivo da Prefeitura, infelizmente, é o de aumentar a rrecadação. Não coincide grande parte dos locais que estão sendo implementados maior quantidade de fiscalizações para flagrar os veículos com o número de acidentes”, pontuou.

A Prefeitura de São Paulo apontou queda de 20% nas mortes no ano passado e credita o resultado à fiscalização. O número de radares dobrou na gestão Fernando Haddad: são 925 pontos de fiscalização contra 467 antes do início do mandato do petista.

O especialista duvida que a fiscalização tenha reduzido drasticamente o número de acidentes e mortes na cidade de São Paulo. Flamínio Fishman destacou que a queda verificada também na região metropolitana é reflexo da crise econômica no País.

No ano passado, a arrecadação de multas de trânsito atingiu R$ 1 bilhão contra R$ 897 milhões em 2014, aumento de 13%.

A Jovem Pan procurou a Companhia de Engenharia de Trânsito para uma avaliação dos dados, mas a CET não respondeu à solicitação.