Instituto Butantan recebe R$ 54 mi para modernização de fábrica de vacinas

  • Por Jovem Pan
  • 09/02/2017 07h53
Os pais devem ficar atentos ao prazo para a segunda dose da vacinação

Com aporte de R$ 54 milhões do Ministério da Saúde, o Instituto Butantan modernizará suas fábricas de vacinas contra difteria, tétano, coqueluche (tecnicamente chamada de pertussis) e hepatite B.

O anúncio foi realizado nesta quarta-feira (08), na sede do Instituto, em São Paulo.

Desde o final de 2012 a produção dessas vacinas estava interrompida, pois as unidades não estavam adequadas às novas exigências de Boas Práticas de Fabricação pela Anvisa, estabelecidas em 2010.

Com as obras de readequação, o instituto voltará a fabricar quatro vacinas: de difteria e tétano adulto; difteria e tétano infantil; difteria, tétano e pertussis e hepatite B.

Segundo o diretor do Instituto Butantan, Jorge Kalil, com a verba será possível produzir doses para testes em humanos de uma vacina inédita.

Trata-se da vacina de coqueluche celular de baixa toxicidade, que vem sendo chamada de pertussis low, como explicou Jorge Kalil.

Com a verba também será retomado projeto de desenvolvimento de uma vacina nacional pentavalente – contra difteria, tétano, coqueluche, e Influenza tipo B, em parceria com Fundação Oswaldo Cruz.

Presente ao evento, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou que o movimento de imigração mundial pode trazer doenças que antes estavam controladas no Brasil, como coqueluche e febre amarela.

O repasse será realizado via Programa para o Desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde (Procis).

Confira a reportagem completa de Fernando Martins: