Integração de ônibus com Metrô ou CPTM sofrerá reajustes em SP; população critica

  • Por Jovem Pan
  • 04/01/2017 07h53
O governador Geraldo Alckmin durante entrega de dois novos trens para a Linha 11-Coral-Expresso Leste (Luz-Guaianazes), da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Data: 04/11/2014. Local: São Paulo/SP. Foto: Edson Lopes Jr/A2 FOTOGRAFIACPTM - Fotos Públicas

Reajuste no valor da integração do ônibus com o Metrô ou CPTM é alvo de críticas da população de São Paulo e pode gerar mudança de hábito.

No último dia 30 de dezembro, o governo paulista e a Prefeitura da capital confirmaram a manutenção da tarifa básica em R$ 3,80.

Mas quem utiliza dois modais em sequência vai pagar R$ 6,80, alta de 15% sobre o preço anterior, de R$ 5,92. Além disso, o valor do Bilhete Único Mensal comum subiu de R$ 140 para R$ 190, e o que permite o uso do Metrô e trem foi de R$ 260 para R$ 300.

Houve também reajuste no preço do cartão 24 horas, de R$ 10 para R$ 15, para quem usa apenas um modal; e de R$ 16 para R$ 20, para dois tipos diferentes.

O aumento no valor da integração começa a valer no próximo domingo, dia 08 de janeiro.

O engenheiro especialista em trânsito e transporte, Horácio Figueira, disse ao repórter Anderson Costa que pode haver mudança de hábito dos passageiros.

Horácio Figueira entende que o Metrô deve ser o mais prejudicado, já que a
CPTM, por ser intermunicipal, nem sempre possui linhas de ônibus equivalente.

Em entrevista ao repórter Fernando Martins, o governador paulista Geraldo Alckmin afirmou que foi feito um grande esforço para não prejudicar os passageiros.

Segundo a SPTrans, somente 24% dos usuários de ônibus serão afetados pelo aumento do valor da integração com o Metrô.

Metade dos passageiros utiliza somente um modal de transporte e outros 25% são beneficiados pelas gratuidades.

Confira: