Presidente da Caixa: 2ª parcela do auxílio não será paga nos últimos 10 dias do mês

Segundo ele, este é o mesmo período do calendário do Bolsa Família, o que aumenta as filas

  • Por Jovem Pan
  • 02/05/2020 08h25
Giuliano Gomes/Estadão ConteúdoNeste sábado, o banco ampliou o atendimento com a abertura de 902 agências, de 8h às 14h

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, adiantou em entrevista ao Jornal da Manhã neste sábado (2) que o calendário de pagamento da segunda parcela do auxílio emergencial não será nos últimos 10 dias úteis do mês, como foi em abril.

Segundo ele, as filas tendem a ficar muito maiores, pois neste período é feita a retirada dos valores do Bolsa Família. “Não tem como colocar dois pagamentos de auxílios do governo nos mesmos dias”, ressaltou Guimarães.

De acordo com o presidente da Caixa, o calendário deve ser liberado já na próxima semana. “Já tenho ele pronto e vou conversar com Onyx [ministro da Cidadania] e depois levaremos ao presidente Jair Bolsonaro. Vamos anunciar depois que ele permitir”, explicou.

Neste sábado, o banco ampliou o atendimento com a abertura de 902 agências, de 8h às 14h. Podem retirar o auxílio emergencial os beneficiários nascidos de janeiro a outubro que receberam pela Poupança Social Digital e optaram por realizar o saque em espécie. A data para os nascidos em novembro e dezembro está mantida na terça-feira (5).

Guimarães disse que “um terço dos brasileiros adultos” receberam o benefício. Com o objetivo de reduzir as filas e aglomerações, foram contratados mais dois mil vigilantes e 500 atendentes extras. Além disso, 3,5 mil funcionários que estavam em home office estão retornando hoje fisicamente para ajudar.