465 anos de São Paulo: Inovação é a chave para o futuro

  • Por Jovem Pan
  • 25/01/2019 08h50
Rafael Neddermeyer/ Fotos PúblicasSe a pujança econômica, comercial e turística enchem os olhos, a cidade também sofre com gente marginalizada e que não tem acesso aos serviços mais básicos

São Paulo completa, nesta sexta-feira (25), 465 anos. A história, repleta de feitos e realizações faz com que, nos tempos de hoje, mais de 12 milhões de pessoas vivam na metrópole. Isso sem contar os milhares de turistas e a população da Grande São Paulo que trabalha e visita a cidade diariamente.

Com isso, é mais que necessário pensar em ações para o presente e desenhar o futuro, de modo que o crescimento seja ordenado e com igualdade. Claro que pode parecer um desejo utópico, mas autoridades públicas e o setor privado estão pensando nesse caminho.

Se a pujança econômica, comercial e turística enchem os olhos, a cidade também sofre com gente marginalizada e que não tem acesso aos serviços mais básicos.

Daniel Annemberg, secretário de Inovação e Tecnologia da capital paulista, aponta que o desafio atual e dos próximos anos, é pensar em uma cidade mais inteligente e humana. Para ele, a tecnologia deve ser o meio para alcançar as pessoas que mais precisam do poder público, com o foco de garantir qualidade de vida, desburocratização e transparência na gestão da cidade.

Para isso, a Prefeitura pensa em três pilares: em primeiro lugar simplificar o acesso da população aos serviços; depois facilitar a gestão da mudança de processos na Prefeitura.

O terceiro ponto, explica o secretário Annemberg, é melhorar a infraestrutura digital de São Paulo com ampliação ao acesso de internet WiFi, telecentros e laboratórios públicos de inovação digital pela cidade.

Carlos Affonso Souza, diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade e professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, endossa que o futuro passa pela formação de uma cidade inteligente para melhorar o espaço urbano. No entanto, o especialista aponta que isso é construído com os dados de cada cidadão e como isso será efetivamente realizado pela administração pública.

Mas ainda falando no presente, o paulistano mostra ver melhoria na qualidade de vida. Isso é o que diz a pesquisa feita pela Rede Nossa São Paulo e divulgada esta semana.

Ainda que pouco, a satisfação de quem vive na capital saltou de 6 para 6,3, em uma escala de 0 a 10, entre 2017 e 2018. No entanto, o tema que mais incomoda o paulistano ainda é a saúde, área usada por 86% dos entrevistados, mas avaliada negativamente por 56% deles. Ainda há muito o que caminhar, mas o mais importante é saber que para isso, São Paulo não para.

Confira o primeiro capítulo da série especial: 465 anos de São Paulo: Os caminhos percorridos até a atualidade

Confira o segundo capítulo da série especial: 465 anos de São Paulo: Fluxo migratório traz sonhos e desejo por oportunidades

Confira o terceiro capítulo da série especial: 465 anos de São Paulo: Imigrantes escrevem sua história na cidade

Confira o quarto capítulo da série especial: 465 anos de São Paulo: A metrópole da grandiosidade com números que impressionam

*Informações do repórter Fernando Martins