6ª fase da Operação Lama Asfáltica aponta ex-governador do MS como ‘principal beneficiário do esquema’

  • Por Jovem Pan
  • 28/11/2018 07h07
Elza Fiuza/Agência Brasil A investigação apontou o ex-governador, André Puccinelli, como o “principal beneficiário do esquema”, inclusive com empresas fictícias no Paraguai

Nesta terça-feira (27), a Polícia Federal deflagrou a 6ª fase da Operação Lama Asfáltica, que investiga desvios de dinheiro do Mato Grosso do Sul e remessas ilegais ao exterior.

A etapa, batizada de Computadores de Lama, mirou em remessas clandestinas de valores para fora do Brasil realizadas por proprietários de empresas de informática.

A ação foi deflagrada em parceria com a Receita Federal e a Controladoria Geral da União. A investigação apontou o ex-governador, André Puccinelli, como o “principal beneficiário do esquema”, inclusive com empresas fictícias no Paraguai.

Os alvos da Operação tiveram R$ 22 milhões em bens bloqueados. De acordo com o superintendente da PF no Estado, Luciano Flores, esta etapa mirou na evasão de divisas e lavagem de dinheiro, e descobriu a modalidade aplicada: dólar-cabo.

Com a atitude fraudulenta, os envolvidos não deixavam registros oficiais e ocultavam o patrimônio, para depois utilizá-lo de maneira ilícita. Escritórios de advocacia e empresas de informática eram usados para fornecer notas fiscais de serviços que não foram prestados.

A Operação Computadores de Lama foi resultado de fases anteriores da Lama Asfáltica, que começou em 2015, para apurar fraudes em obras públicas no Mato Grosso do Sul.

Até agora as investigações identificaram prejuízos ao erário que passam dos R$ 432 milhões.

*Informações da repórter Natacha Mazzaro