Abraji lança cartilha para jornalistas vítimas de violência

  • Por Jovem Pan
  • 28/05/2020 06h28 - Atualizado em 28/05/2020 07h56
Ueslei Marcelino/ReutersAlguns grupos de comunicação decidiram não cobrir mais as entrevistas de Bolsonaro em frente ao Palácio da Alvorada após episódios de violência

Representantes da sociedade civil e do sistema de Justiça repudiaram as agressões e ameaças à imprensa e lançaram uma iniciativa para a proteção dos profissionais. A Ordem dos Advogados do Brasil e a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) divulgaram nesta quarta-feira (27) uma cartilha para orientação jurídica dos jornalistas.

O coordenador do Observatório de Imprensa da OAB, Pierpaolo Bottini, explicou que o documento é um passo a passo para que os jornalistas se empoderem. Bottini afirma que a iniciativa é um passo além das notas de repúdio que são emitidas quando alguma agressão à imprensa acontece.

O presidente da Abraji, Marcelo Träsel, lembrou a decisão de alguns grupos de comunicação de não cobrir mais as entrevistas do presidente Jair Bolsonaro em frente ao Palácio da Alvorada. Träsel afirmou que fica triste por precisar lançar uma cartilha como essa.

A “Cartilha sobre medidas legais para a proteção de jornalistas contra ameaças e assédio online” já está disponível no site abraji.org.br.

*Com informações da repórter Nicole Fusco