ACM Neto anuncia Bienal em Salvador e critica Crivella por censura

  • Por Jovem Pan
  • 11/09/2019 06h32
Flickr/Palácio do PlanaltoA Bienal de Salvador será promovida pelos mesmos organizadores da edição deste ano, no Rio de Janeiro

O prefeito de Salvador, ACM Neto, anunciou nesta terça-feira (10) que a capital baiana vai sediar a Bienal do Livro em 2020. A divulgação foi feita durante a assinatura do contrato de concessão do Centro de Convenções da cidade, local onde deve ocorrer a feira literária.

ACM Neto aproveitou a oportunidade para criticar a postura do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, que tentou censurar obras com temática LGBT durante a Bienal realizada na capital fluminense.

Para ele, a polêmica foi uma oportunidade para Salvador se colocar como opção para realização do evento. Nas redes sociais, o prefeito de Salvador ainda disse que a capital baiana é a “cidade da diversidade” e que lá é “proibido censurar”.

A Bienal de Salvador será promovida pelos mesmos organizadores da edição deste ano, no Rio de Janeiro. O evento retorna à capital fluminense em 2021.

Polêmica

A feira literária que terminou no domingo (8) ficou marcada pela tentativa do prefeito Marcelo Crivella de apreender um livro de história em quadrinhos que ele considerou “impróprio” por conter uma imagem de um beijo gay. Fiscais da prefeitura chegaram a ir até o evento buscar outras publicações com conteúdo semelhante.

A partir de um pedido da Procuradoria-Geral da República, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, proibiu a apreensão dos livros. Toffoli entendeu que ação da gestão Crivella feria princípios democráticos.

A Prefeitura entrou com um recurso no Supremo pedindo para que sejam esclarecidas em quais circunstâncias livros para o público infantojuvenil podem ter as vendas limitadas em função do conteúdo.

*Com informações da repórter Victoria Abel