Acordo de Paris: Macron diz que decisão de Bolsonaro implica na relação do Mercosul com UE

  • Por Jovem Pan
  • 30/11/2018 07h23
EFE/Tatyana ZenkovichDurante a campanha eleitoral, Bolsonaro chegou a dizer que gostaria de deixar o acordo de Paris

O presidente da França, Emmanuel Macron, deixou claro que um acordo comercial com o Mercosul depende da participação de todos os governos da região com o Acordo Climático de Paris.

Em meio às declarações recentes de que o Brasil não sediará a COP-25 em 2019, Macron deu o recado durante uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira (29) em Buenos Aires, onde ocorre a cúpula do G-20.

Para o líder francês, o acordo entre Mercosul e União Europeia, principalmente relacionado ao agronegócio, depende da posição do novo governo brasileiro: “eu não sou a favor da assinatura de amplos acordos comerciais com países que não respeitam o Acordo de Paris e que anunciam que não irão respeitar o Acordo de Paris por uma simples razão”.

Macron afirmou que não pode pedir aos agricultores franceses que mudem os hábitos de produção para se adequar às mudanças climáticas e assinar acordos com países que não fazem o mesmo.

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou que o Brasil não vai sediar a reunião sobre o clima da ONU. Durante a campanha eleitoral, ele chegou a dizer que gostaria de deixar o acordo de Paris.

Para o analista político Carlo Barbieri, há anos a França demonstra que não pretende fazer acordos agrícolas com o Mercosul e que a fala de Macron aparece como uma desculpa.

Pelo Twitter, Jair Bolsonaro escreveu que sujeitar o Brasil “a colocações de outras nações está fora de cogitação”. Sem citar diretamente a França, o presidente eleito também declarou que “é legítimo” que os países “defendam seus interesses”, mas que ele defenderá o interesse do Brasil e dos brasileiros.

*Informações da repórter Marcella Lourenzetto