Acusado de agressão e assédio, juiz Roberto Caldas consegue adiar depoimento

  • Por Jovem Pan
  • 19/05/2018 09h35
Wilson Dias/ Agência Brasilex-presidente da Corte Interamericana de Direitos Humanos Roberto Caldas também é acusado de assediar sexualmente duas funcionárias

O ex-presidente da Corte Interamericana de Direitos Humanos Roberto Caldas adiou o depoimento que daria à Delegacia da Mulher, em Brasília, com um atestado médico. Ele é acusado de agressão contra a ex-esposa Michella Marys Santana Pereira e de assédio sexual contra duas funcionárias domésticas.

Para acontecer, o depoimento vai ter que esperar pelo menos dez dias, que é a duração do atestado, que não teve o conteúdo divulgado. Michella procurou a polícia nas últimas semanas relatando diversas agressões físicas e verbais. Gravou e entregou áudios, em que era chamada de termos como “vagabunda” e “cachorra” pelo ex-marido.

De acordo com o advogado, Pedro Calmon, pelo menos seis testemunhas já foram reunidas para depor contra Caldas. O juiz compôs a Corte Interamericana de Direitos Humanos de 2012 ate a última semana, quando as denúncias vieram à tona.

Quando compôs o colegiado, atuou no combate à violência contra a mulher e foi responsável por recomendar ao Brasil a aprovação da Lei Maria da Penha. Ele também foi membro da Comissão de Ética Pública da Presidência da República de 2006 a 2012.

*Com informações do repórter Levy Guimarães