Aécio Neves cobra “esforço maior” do Governo para que rombo da meta seja justificado

  • Por Jovem Pan
  • 17/08/2017 06h36 - Atualizado em 17/08/2017 11h49
Valter Campanato/Agência Brasil"Eu acredito que o Congresso, até por responsabilidade, terá que aprovar. Mas o Governo deveria estar fazendo esforço maior para que no ano que vem não fosse necessário os R$ 159 bilhões”, disse Aécio

R$ 20 bilhões é a diferença da meta anterior, de R$ 139 bilhões e, agora, R$ 159 bilhões do rombo no Orçamento, e os deputados e senadores, mesmo governistas, não gostaram da ideia.

Alguns senadores dizem que é preciso, sim, aumentar a meta e liberar mais dinheiro para a base governista, emendas parlamentares. Outros querem discutir a matéria.

O senador Aécio Neves, presidente licenciado do PSDB, disse que ninguém gosta do aumento do limite de gastos e que o Governo tem de apresentar contrapartidas: “eu acredito que o Congresso, até por responsabilidade, terá que aprovar. Mas o Governo deveria estar fazendo esforço maior para que no ano que vem não fosse necessário os R$ 159 bilhões”.

Defensores do Governo dizem que Michel Temer vem cortando gastos, economizando, mas que o novo limite é necessário, segundo o deputado Beto Mansur, vice-líder do Governo: “o Governo não está tendo mais despesas, ele está fazendo economia. Vai fechar 2017 em torno de R$ 40 bilhões gastando menos que o previsto. Nós aumentamos a meta porque tivemos recuo da arrecadação, que caiu porque você teve queda mais considerável da inflação”.

Deputado do DEM, PSDB e PPS querem que Temer faça uma proposta clara ao Congresso onde pretende cortar para evitar que mesmo com o aumento do déficit o valor não seja, no futuro, modificado.

*Informações do repórter José Maria Trindade