Aeroporto privado em São Roque deve acelerar fim do Campo de Marte e ‘internacionalização’ de Congonhas

  • Por Jovem Pan
  • 17/12/2019 07h07 - Atualizado em 17/12/2019 07h57
Renato S. Cerqueira/Estadão ConteúdoDoria garantiu que os 21 aeroportos regionais estarão funcionando até junho de 2020

O primeiro aeroporto privado para aviação executiva do país foi inaugurado, nesta segunda-feira (16), na cidade de São Roque, no interior paulista. Com mais de cinco milhões de metros quadrados, o aeroporto Catarina vai operar 24 horas por dia.

A pista de pousos e decolagens tem 2.470 metros, supera Congonhas e também poderá ser usada para aviação de lazer e treinamento. O empreendimento da JHSF tem capacidade para 200 mil pousos e decolagens por ano e poderá receber jatos executivos intercontinentais e voos internacionais non-stop para cidades como Nova York, Londres e Paris.

Com o início das operações do Catarina, o governo de São Paulo deve iniciar, em janeiro de 2020, o processo de desativação do Campo de Marte, na zona norte da capital. Durante a inauguração, o governador, João Doria (PSDB), afirmou que havia deficiência do estado no setor de aviação e indicou que a ideia agora é internacionalizar Congonhas.

“Os aeroportos regionais, tínhamos dois apenas, funcionando regularmente. Dois. De 21, apenas dois. Falei com o ministro Tarcísio [Gomes de Freitas, da Infraestrutura] e com o ministro Paulo Guedes [Economia] na sexta-feira e vamos internacionalizar Congonhas, também. É um absurdo não ter o aeroporto de Congonhas internacionalizado”, disse.

Doria garantiu que os 21 aeroportos regionais estarão funcionando até junho de 2020. O tucano atribuiu a expansão da aviação à campanha São Paulo Para Todos e à redução dos impostos sobre o combustível de aviões.

Segundo Doria, o Estado conseguiu incremento de 706 vôos regulares por semana com a iniciativa.

*Com informações da repórter Nanny Cox