Recentes crises na família real estariam aborrecendo Elizabeth II

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 14/01/2020 08h43
EFE/Facundo ArrizabalagaNo final das contas, os estragos parecem ter sido contidos pela postura da rainha Elizabeth II, que acabou saindo como vítima da história

O casal real Harry e Meghan Markle segue dominando o noticiário do Reino Unido com fotos dos dois nas capas de todos os grandes jornais britânicos. A reunião na residência de Sandringham na segunda-feira (13) entre a rainha, o príncipe Charles e os príncipes William e Harry terminou com um entendimento.

A monarca liberou seu neto, de forma relutante, a seguir o rumo que bem entender ao lado da esposa e do filho de oito meses. Ficou acertado que Harry e Meghan vão passar por um período de transição, viajando entre o Canadá e o Reino Unido.

Mas, na prática, o casal conseguiu o que queria e, até por falta de opção prática, não restou outra saída para a rainha senão concordar com os dois.

Elizabeth II divulgou um comunicado afirmando que embora preferisse que o casal seguisse servindo a família real em tempo integral, apoia a decisão deles de iniciar uma nova vida.

Também na segunda-feira os príncipes Harry e William divulgaram comunicado na imprensa rechaçando boatos da imprensa sobre a relação deles. Alguns relatos indicaram que os irmãos já não se davam bem e que William fazia bullying com o caçula.

Tanta exposição negativa de assuntos pessoais tem sido algo constrangedor demais para os Windsor nas últimas semanas. Vale lembrar que o tio dos dois, o príncipe Andrew, há pouco foi afastado dos deveres oficiais por ser acusado de pedofilia.

Em meio a tantas crises, os jornais britânicos relatam que a rainha, que tem 93 anos de idade, está profundamente aborrecida.

Os detalhes sobre como irá funcionar esse afastamento do príncipe Harry das funções de primeiro escalão da monarquia ainda não estão claros. Já especula-se que, depois de passar algum tempo no Canadá, o casal tenha o interesse de se mudar para Los Angeles.

A tão polêmica independência financeira dos dois poderá ser alcançada, já que eles estarão liberados para fechar acordos comerciais, o que atualmente não é permitido.

No final das contas, os estragos parecem ter sido contidos pela postura da rainha Elizabeth II, que acabou saindo como vítima da história. A narrativa criada por aqui é a de que o neto e a esposa, mimados, faltaram com cortesia diante da matriarca e conseguiram fazer suas vontades.

Talvez a história verdadeira que ocorre nos corredores dos palácios britânicos não seja exatamente essa. Porém, a família real parece estar trabalhando duro para evitar uma reedição dos escândalos que marcaram os anos 1990.