Aliança entre Lula e Alckmin visa combater ‘lado autoritário’, diz Márcio França

Em entrevista ao Jornal da Manhã desta sexta-feira, 8, o ex-governador de São Paulo falou sobre o cenário da disputa presidencial

  • Por Jovem Pan
  • 08/04/2022 10h16
Reprodução/Instagram/marciofrancasp/25.09.2021 Márcio França falando no microfone Em entrevista à Jovem Pan, França reconheceu diferenças entre Lula e Alckmin, mas citou maturidade dos dois políticos

O PT e o PSB devem anunciar ainda nesta sexta-feira, 8, a chapa LulaAlckmin para concorrer à presidência da República nas eleições de 2022. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, de hoje, o ex-governador de São Paulo, Márcio França (PSB), falou sobre o cenário da disputa eleitoral e a união entre Lula e Geraldo Alckmin, dizendo que, mesmo sendo perfis diferentes, Lula e Alckmin mostram maturidade para enfrentar um adversário em comum. “Quando pensamos na possibilidade da junção queríamos deixar claro que há uma divisão no Brasil que, no nosso entendimento, tem a ver com lado democrático e um lado mais autoritário. […] É por isso que o Alckmin fez esse movimento e, naturalmente, quando ele faz esse movimento e escolhe um partido como o nosso, ele, ao mesmo tempo, assume um compromisso de estar neste campo político. Mas eles não são pessoas idênticas, o Lula e o Alckmin foram adversários em várias eleições. Quando fazemos coligações, é para juntar pessoas diferentes como quem diz ‘vou criar um grupo de pessoas para derrotar um adversário maior'”, afirmou França.

Confira a entrevista na íntegra: