Altas consecutivas da gasolina afetam motorista paulistano

  • Por Jovem Pan
  • 21/05/2018 11h51 - Atualizado em 21/05/2018 11h51
Rafael Neddermeyer/ Fotos PúblicasNo mês de abril, os preços da gasolina e do diesel foram reajustados 19 vezes

A Petrobras anunciou só na semana passada cinco reajustes consecutivos nos preços da gasolina e do diesel em todo o País. O ultimo aumento feito no sábado, foi de 1,8 por cento pra gasolina e e pro 0,95% pro diesel.

A reclamação dos motoristas nos postos aumenta na mesma proporção.

A Jovem Pan foi às ruas ouvir o que dizem motoristas paulistanos.

Uma escolhe abastecer com etanol para diminuir os custos. Outro diz que sente no bolso um aumento muito maior que o anunciado. Ele faz as pesquisas para descobrir onde encontra gasolina mais barata e lamenta que não pode confiar muitas vezes não pode confiar em tais postos.

Um motorista de aplicativo relata que o lucro “fica praticamente no combustível”, o que torna seu ofício “quase inviável”. Ele abastece de R$ 100 a R$ 120 por dia.

Em um dos postos mais baratos da região da Av. Paulista a gasolina estava R$ 4,19 neste fim de semana.

De janeiro a 18 de maio, os reajustes nos combustíveis chegam a quase 9%. Isso acontece devido ao reajuste no preço do petróleo, como explica o economista Eduardo Mekitarian.

O aumento do petróleo internacional devido à crise provocada pelos EUA na saída do acordo nuclear com o Irã.

No mês de abril, os preços da gasolina e do diesel foram reajustados 19 vezes, e agora em maio, nos 18 primeiros dias, foram 12 reajustes no total.

Assista à reportagem de Victor Moraes ao Jornal da Manhã: