ANP realiza no RJ, nesta quinta, nova rodada de leilões de áreas para exploração de petróleo

  • Por Jovem Pan
  • 29/03/2018 07h14 - Atualizado em 29/03/2018 09h18
DivulgaçãoOdoni reconheceu a relevância destes dois blocos, localizados na Bacia de Santos, mas acredita em um bom leilão mesmo com risco de redução na arrecadação

O diretor-geral da ANP, Décio Odoni, manteve a previsão de arrecadação de R$ 3,5 bilhões para a 15ª rodada de blocos no regime de concessão, que acontece nesta quinta-feira (29), e para a 4ª rodada no regime de partilha de produção, programado para meados deste ano.

Isso tudo mesmo após a decisão do TCU de retirar, nesta quarta-feira, dois blocos de alto valor, localizados nas margens do pré-sal.

Odoni reconheceu a relevância destes dois blocos, localizados na Bacia de Santos, mas acredita em um bom leilão mesmo com risco de redução na arrecadação potencial do certame. Os dois blocos estavam entre os mais caros deste leilão. O bônus de assinatura mínimo dos dois é de R$ 3,550 bilhões. O Governo vai tentar incluir esses dois blocos para um novo certame.

Já o secretário-executivo do IBP, Antônio Guimarães, ficou surpreso com a decisão e a classificou como um balde de água fria e frustração para interessados para as áreas de elevado potencial a Bacia de Santos. Mesmo assim, apostou em rodada disputada e atraente nesta quinta.

Executivos do setor de petróleo também apostam em concorrência neste leilão, até porque é período de eleição e isso cria incertezas sobre futuras rodadas de leilão de petróleo e gás.

*Informações do repórter Rodrigo Viga