Anvisa discute o novo modelo de rotulagem de alimentos

  • Por Jovem Pan
  • 21/05/2018 09h49 - Atualizado em 21/05/2018 09h51
Tânia Rêgo/ABrLetras pequenas é uma das principais dificuldades do consumidor em entender a composição nutricional na rotulagem dos alimentos

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) discute, nesta segunda-feira (21), o novo modelo de rotulagem de alimentos. A reunião da diretoria colegiada da Anvisa é o último passo antes da consulta pública.

Quem já tentou ler o rótulo de um pacote de biscoitos, de salsichas, de qualquer alimento, sabe que não é fácil entender o que está escrito. É difícil saber os ingredientes e, o que é mais importante, se a comida faz bem ou mal, se tem muito sal ou muito açúcar.

Por isso, a Anvisa está analisando como pode mudar as embalagens para tornar as informações mais claras.

De acordo com a pesquisadora em alimentos do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, Ana Paula Bortoletto, o atual padrão traz muitas dificuldades ao consumidor. “Primeiro, há dificuldade para enxergar porque a letrinha é bem pequena. Segundo, a informação é muito técnica e exige que o consumidor faça contas para comparar produtos”, criticou

Outro ponto que pode ser questionado na reunião é a indicação que alguns fabricantes colocam nos rótulos como “zero gordura” ou “zero caloria.”

– A professora de nutrição da Universidade Federal de São Paulo, Anita Sachs, explica que o consumidor deve sempre considerar todos os componentes. “Ele pode ter um baixo valor de calorias, mas ser rico em determinado nutriente que no seu caso não é indicado. Por isso, a a orientação da população na composição do alimento como um todo é muito importante”, destaca Sachs.

A nova proposta da Anvisa prevê colocar os ingredientes em excesso nos rótulos em destaque com formas geométricas vermelhas ou pretas. O modelo atual de embalagens para alimentos é de 2003.

*Com informações do repórter Tiago Muniz