‘Após arrastar legião em 2018, Bolsonaro volta ao tamanho normal’, diz Maia

Na Barra da Tijuca, na zona oeste, Maia não foi assediado e votou rapidamente

  • Por Jovem Pan
  • 16/11/2020 06h55
ANTONIO MOLINA/ZIMEL PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 23/10/2020Para Rodrigo Maia, em 2018, Bolsonaro teve uma popularidade e uma votação bem acima daquilo que projetavam pesquisas

Depois de uma votação expressiva em 2018, o presidente Jair Bolsonaro está voltando ao tamanho normal. A avaliação foi feita neste domingo (15) pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Na Barra da Tijuca, na zona oeste, Maia não foi assediado e votou rapidamente. Ele conversou com os jornalistas na saída da escola pública. Segundo ele, a dificuldade que muitos candidatos à Prefeituras estão tendo, neste ano, mesmo apoiados pelo presidente da República, de certa forma, tem a ver com o movimento de “volta ao normal” de Jair Bolsonaro. Para Rodrigo Maia, é que, em 2018, Bolsonaro teve uma popularidade e uma votação bem acima daquilo que projetavam as pesquisas — muito por conta do ambiente e do sentimento daquela eleição.

“Agora está representando a verdade, do tamanho do núcleo dele, que era muito menor que os 46% de votos. Voltou ao tamanho normal e a influência é menor, principalmente nas capitais — onde a cobrança da população é sempre maior.” Lembrando que o partido de Rodrigo Maia, o Democratas, vem articulando projetos para as eleições presidenciais de 2022 e já conversou, inclusive, com o apresentador Luciano Huck. Maia rechaça a possiblidade de uma chapa que tenha o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Ele admitiu, pro outro lado, a possiblidade também de negociações e conversas com partidos de centro-esquerda.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga