Após debate, candidatos ao governo de SP comentam resultados de última pesquisa eleitoral

  • Por Jovem Pan
  • 20/09/2018 08h43
Eduardo Carmim/Estadão ConteúdoO confronto foi promovido pelo SBT em parceria com o UOL e o jornal Folha de S. Paulo

Os candidatos ao governo de São Paulo participaram de mais um debate marcado por temas nacionais e acusações entre rivais. O confronto foi promovido pelo SBT em parceria com o UOL e o jornal Folha de S. Paulo.

Tecnicamente empatado com João Doria na liderança da última pesquisa Ibope, Paulo Skaf, do MDB, deixou o evento sem falar com a imprensa.

Os candidatos no topo das intenções de voto evitaram o embate direto durante o debate. Mas no mesmo horário do confronto, o presidente Michel Temer, do partido de Skaf, divulgou um vídeo dizendo que João Doria falta com a verdade.

O candidato ao governo paulista pelo PSDB rebateu as críticas de Temer e declarou que nunca desrespeitou o presidente. Doria também aproveitou o debate para criticar o candidato do PT ao Palácio do Planalto, Fernando Haddad.

Vestido de camiseta vermelha com o rosto de Lula estampado, o candidato do PT, Luiz Marinho, defendeu Haddad e argumentou que Doria só faz “marketing”.

Em quarto na pesquisa e com tendência de alta, Marinho ainda acredita na ida ao segundo turno.

Terceiro nas pesquisas, o governador Márcio França, do PSB, também saiu do debate sem falar com a imprensa.

Durante o confronto, França criticou Skaf sobre denúncias na Lava Jato, negadas pelo candidato do MDB.

Com a candidatura impugnada e aguardando julgamento de recurso, Marcelo Candido se disse tranquilo. O candidato do PDT declarou que o debate serviu para expor propostas.

Diante de temas da corrida presidencial, o nome de Jair Bolsonaro também foi citado.

Em dobradinha com o candidato do PT, a professora Lisete Arelaro, do PSOL, fez duras críticas ao presidenciável. Aliado do PSL, Rodrigo Tavares, do PRTB, também foi confrontado com declarações do vice de Bolsonaro.

O general Hamilton Mourão disse que famílias pobres “sem pai e avô, mas com mãe e avó” são “fábricas de desajustados” que fornecem mão de obra ao narcotráfico. O candidato do PRTB reforçou que a frase de Mourão foi descontextualizada.

Com pitadas de humor, a candidata do PSOL, professora Lisete, também disparou contra João Doria. Durante o debate, o tucano disse que a candidata era “desinformada” e que deveria voltar ao banco da escola. Professor Lisete rebateu a afirmação e atacou a postura de Doria quando a plateia lhe dirigiu vaias.

O próximo confronto entre os candidatos ao governo de São Paulo acontece no dia 28 de setembro.

*Informações da repórter Marcella Lourenzetto