Após decisão do STF, senadores cobram instalação de CPI da Lava Toga

  • Por Jovem Pan
  • 09/11/2019 09h58
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDOO líder do PSL no Senado, Major Olímpio, lembrou que o processo está parado

Após a decisão que proibiu a prisão após condenação em segunda instância, cabe ao Congresso Nacional redefinir o tempo adequado para o início do cumprimento da pena. A avaliação é do presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Fernando Mendes.

Para ele, o Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu que a presunção de inocência deve ser considerada até o trânsito em julgado, quando não há mais possibilidade de recorrer da decisão.A mudança de ideia do STF gerou reações de diversos setores, sobretudo no Congresso.

Durante o programa Pra Cima Deles desta sexta-feira (8), o senador Major Olímpio (PSL-SP) defendeu a instalação da chamada chamada CPI da Lava Toga, que visa investigar irregularidades nos tribunais superiores.

O líder do PSL na Casa lembrou, no entanto, que o processo está parado. “O Senado é uma casa de gente, dentro da política, muito experiente. O cara foi governador, foi prefeito de capital. É liso que nem um bagre ensaboado”, disse.

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) lembrou que o Senado já engavetou 14 pedidos de impeachment contra o ministro Gilmar Mendes. “Não pode aprovar o pedido de impeachment do Gilmar Mendes porque existe rabo preso. Ou seja, o sujeito tem investigação contra ele, denúncia de corrupção contra ele senador, ele presidente e tal.”

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) afirmou que é necessário “abrir a caixa-preta do Supremo” e defendeu o fim do foro privilegiado. “Na hora que você tirar esse guarda-chuva que protege poderosos, parlamentares – porque os parlamentares tiveram muito interesse nessa decisão de ontem, tem muitos aqui com problemas -, nós vamos ter um país realmente livre da corrupção”, avaliou.

O debate completo do Pra Cima Deles está disponível no canal Jovem Pan News no Youtube.

*Com informações da repórter Nanny Cox