Após decreto, procura por informações sobre armas de fogo em lojas do segmento aumenta

  • Por Jovem Pan
  • 17/01/2019 06h54 - Atualizado em 17/01/2019 08h44
PixabayAtualmente, no Brasil, de acordo com a Polícia Federal, há 677.771 registros ativos de armas de fogo

O decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, com flexibilização para a posse de armas de fogo, nesta terça-feira (15), começou a movimentar o mercado e lojas do segmento.

A reportagem da Jovem Pan consultou várias lojas e estandes de tiro da capital paulista e, informalmente, a maioria dos estabelecimentos confirma incremento de telefonemas e mensagens em redes sociais com pedidos de informações sobre armamento.

Em geral, muitas pessoas mostram ter dúvidas sobre o assunto, sobretudo confundindo a posse com o porte.

Rafael Souza, gerente de uma loja de armas da Zona Leste de São Paulo, acredita que o assunto seguirá na pauta do governo, mas as mudanças feitas esta semana ainda são brandas.

Para os empresários do setor, o novo decreto não traz facilidades para quem quiser adquirir uma arma, mas sim, garantias para exercer seu direito a segurança.

Segundo a Polícia Federal, o Sistema Nacional de Armas aponta aumento no número de novos registros de armas de fogo em 2018. Foram 48.330 novos registros contra 45.443 em 2017, aumento de 6,35%.

Portes de arma expedidos também cresceram em 2018: foram 8.639 contra 5.748 em 2017, aumento de 50,29%.

Atualmente, no Brasil, de acordo com a Polícia Federal, há 677.771 registros ativos de armas de fogo.

*Informações do repórter Fernando Martins