Após determinação da Justiça, Sérgio Cabral volta para Bangu

Juiz determinou que o ex-governador e outros detentos que estavam na unidade prisional da PM fossem transferidos para o complexo penitenciário

  • Por Jovem Pan
  • 04/05/2022 07h48 - Atualizado em 04/05/2022 08h05
Agência Brasil Sergio Cabral é réu em mais de 30 ações que tramitam na Justiça do Rio e do Paraná Condenações de Sérgio Cabral somam mais de 400 anos

A Justiça do Rio de Janeiro determinou a transferência do ex-governador Sérgio Cabral Filho para o presídio de segurança máxima Bangu 1, no Complexo de Bangu, na Zona Oeste da capital, considerado o mais seguro dos presídios e conhecido como cofre. Ali estão traficantes dos mais perigosos do Rio de Janeiro. A decisão foi tomada pelo juiz Bruno Monteiro Ruliere. Outros cinco presos que, assim como Cabral, estavam na unidade prisional da PM, na região metropolitana, também tiveram a transferência determinada e ficarão isolados por 10 dias na galeria C. Eles foram transferidos por conta de regalias no batalhão da PM em Niterói. Nesta semana, mais produtos foram encontrados na cela do governador do Estado. A descoberta já está sendo investigada pela cúpula da Polícia Militar, que determinou abertura de inquérito policial militar para esse caso. O intuito da PM é descobrir quem facilitou essas regalias a Sérgio Cabral e outros detentos.

Na nova varredura, foram encontrados talheres de inox na cela de Cabral. Perto dali, um saco com celulares e grandes quantidades de dinheiro. Também foram encontrados televisores, que são permitidos, mas há suspeita de que os aparelhos estavam conectados a internet. O que é terminantemente proibido dentro do batalhão. Em uma varredura anterior já haviam sido encontrados itens proibidos dentro da cela de Cabral e na mesma ala do ex-governador. Anabolizantes, cadernos de contabilidade, toalhas com o nome de Sérgio Cabral, entre outros itens. O batalhão prisional abriga PM que cometeram desvios de conduta e presos especiais, como o ex-governador. A defesa de Sérgio Cabral Filho diz que ele é alvo de perseguição e viu com perplexidade a transferência para Bangu 1. Ele está preso desde 2016 por comandar um esquema de corrupção que praticamente sucateou e delapidou o Rio de Janeiro e já foi condenado há mais de 400 anos de prisão.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga