Após dois adiamentos, Governo deve anunciar nova meta de déficit para 2017 e 2018 nesta terça

  • Por Jovem Pan
  • 15/08/2017 06h31
Marcos Santos/ USP ImagensNesta segunda o comentário dentro do Governo foi de que o núcleo político trabalhava para elevar o déficit de 2018 de R$ 129 bilhões para R$ 170 bilhões

Depois de dois adiamentos, a expectativa é de que nesta terça-feira (15) o Governo finalmente anuncie a nova meta de déficit para 2017 e 2018. Um novo embate entre as áreas econômica e política do Governo complicou nesta segunda-feira (14) as discussões e, segundo o Ministério da Fazenda, o anúncio ficou para hoje para que o Governo possa saber com certeza de quanto será a arrecadação no período.

O Governo cobra do Congresso a aprovação de medidas como a reoneração e o Refis e já avisou que quer leiloar 6 blocos de aeroportos. Os três primeiros já anunciados abrangem 19 terminais e o objetivo agora é tentar saber exatamente quanto poderá ser arrecadado.

Nesta segunda o comentário dentro do Governo foi de que o núcleo político trabalhava para elevar o déficit de 2018 de R$ 129 bilhões para R$ 170 bilhões.

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, no entanto, usou as redes sociais para negar a informação. Segundo ele, ninguém trouxe tal valor às discussões.

O Governo quer também adiar reajuste nos salários de servidores previstos para o ano que vem e limitar o valor do salário de ingresso no serviço público federal.

Nesta segunda, o presidente Michel Temer, participou de solenidade com novos oficiais generais e ressaltou a importância das Forças Armadas para o País: “a defesa da pátria, a garantia dos poderes constitucionais e a Garantia da Lei e da Ordem”.

Os comandantes militares, no entanto, vêm alertando que por conta dos cortes do orçamento das Forças Armadas. O comandante do Exército, General Vilas Boas fez uma avaliação preocupante do cenário atual: “as operações de fronteira já estão sendo reduzidas porque a medida que faltar combustível e insumos necessários se torna impossível a gente prosseguir no mesmo ritmo”.

O orçamento das Forças Armadas teve uma queda de quase 50% de 2012 para hoje.

*Informações da repórter Luciana Verdolin