Após encerrar negociações, Guaidó tenta achar solução para a Venezuela

  • Por Jovem Pan
  • 17/09/2019 09h21
Mateus Bonomi/Estadão ConteúdoO conselho sugerido foi inspirado em outro realizado em 1958, e serviria como "forma de governo" até que um novo presidente seja escolhido

O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, confirmou que as negociações de paz mediadas pela Noruega foram encerradas. As conversas estavam paralisadas desde o dia 7 de agosto por parte da ditadura de Nicolás Maduro, que na ocasião foi alvo de sanções do governo dos Estados Unidos.

Segundo Guaidó, os chavistas abandonaram o diálogo. O autoproclamado presidente interino da Venezuela retomou proposta feita durante as conversas de paz, de convocação de um Conselho de Governo com todos os setores para tentar reverter a crise no país.

Guaidó afirmou que deixaria o cargo, desde que Maduro faça o mesmo. O conselho sugerido foi inspirado em outro realizado em 1958, e serviria como “forma de governo” até que um novo presidente seja escolhido em eleições livres. A proposta contempla também a libertação dos mais de 500 presos políticos no país e a entrada imediata de ajuda humanitária na Venezuela.

Em resposta, a ditadura anunciou uma série de acordos parciais, dentre eles o retorno da bancada governista à Assembleia Nacional, de maioria opositora e presidida por Guaidó.

Segundo o ministro da Comunicação, Jorge Rodríguez, o objetivo é estender e aprofundar o diálogo.

O pacto anunciado foi fechado com parte da oposição da qual o autoproclamado presidente interino da Venezuela não faz parte.

Juan Guaidó também cogita representar a Venezuela na Assembleia-Geral da ONU, já que Maduro desistiu de viajar a Nova York, nos Estados Unidos, e prometeu enviar dois representantes da ditadura chavista.

*Com informações do repórter Matheus Meirelles