Após novela, Grã-Bretanha pode acabar ‘chutada’ da União Europeia

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 09/09/2019 08h25
EFE/EPA/IAN LANGSDONJohnson deve sofrer nova derrota na Câmara dos Comuns

Cada vez mais encurralado, o primeiro-ministro do Reino Unido tenta encontrar uma saída para finalizar o Brexit sem precisar de outro adiamento. Porém, as alternativas de Boris Johnson não são fáceis. A Câmara dos Comuns vai votar nesta segunda-feira (9) de novo um pedido para antecipar as eleições.

Johnson deve sofrer nova derrota na Casa que já rechaçou a convocação antes – a oposição quer antes impedir o Brexit sem acordo. O projeto de lei que obriga o primeiro-ministro a pedir que o divórcio seja prorrogado de novo deve ser sancionado pela rainha ainda hoje.

Apesar disso Boris Johnson segue dizendo que prefere cair morto na sarjeta a ter que ir a Bruxelas pedir mais um adiamento do Brexit. E assim um novo impasse surreal está criado no Reino Unido – já se fala até numa solução típica de democracias imaturas. Sim, os britânicos estão inclusive cogitando um impeachment do primeiro-ministro caso ele não cumpra a lei e adie a separação.

A possibilidade da Grã Bretanha sair mesmo da União Europeia no dia 31 de outubro parece menor a cada instante, mas os próximos eventos desta novela interminável ainda são muito incertos. O país deve mesmo ter uma nova eleição que pode embaralhar completamente o cenário.

Defensores da União Europeia já articulam uma votação organizada em candidatos que apoiam um novo referendo. Tudo isso pode ser em vão porque a paciência do lado de lá do Canal da Mancha está se esgotando.

Qualquer novo adiamento do divórcio precisa ser ratificado por todos os países do bloco europeu – e alguns têm deixado claro que está na hora de encerrar o assunto.

No fim, a Grã Bretanha pode acabar chutada mesmo da União Europeia, o que seria o mais melancólico dos finais possíveis para esta desventura tresloucada chamada Brexit.