Após repercussão mundial, Rússia pode punir brasileiros que assediaram mulher na Copa

  • Por Jovem Pan
  • 03/07/2018 07h24 - Atualizado em 03/07/2018 07h47
ReproduçãoA decisão do governo foi impulsionada por um pedido da jurista ativista russa Alena Popova

A Rússia decidiu abrir um inquérito contra os quatro brasileiros que protagonizaram um episódio de assédio contra uma jornalista russa no início da Copa do Mundo. A decisão do governo foi impulsionada por um pedido da jurista ativista russa Alena Popova, que enviou uma denúncia ao governo há cerca de duas semanas.

Na carta, Popova pede que o grupo se desculpe publicamente diante do “sexismo e falta de respeito às leis da Federação Russa”. Ela também completou que o grupo deveria se redimir pelo “desrespeito por um cidadão russo, pelos insultos, humilhação da honra e dignidade” de uma pessoa com base no gênero.

Depois da repercussão, a jurista disse acreditar que os cidadãos de diferentes países podem se unir para mudar as atitudes em relação às mulheres.

No vídeo que circulou nas redes sociais, quatro brasileiros se unem em volta de uma jornalista russa e fazem ela repetir termos de cunho sexual.

As palavras foram proferidas em português, uma língua que ela desconhece. Os quatro foram identificados como o tenente da Polícia Militar de Santa Catarina Eduardo Nunes, o ex-secretário de Turismo de Ipojuca, Diego Jatobá, o engenheiro civil Luciano Coelho e o estudante Wallace Prado.

*Informações da repórter Nanny Cox