Após saída de cubanos, 30% dos novos profissionais do Mais Médicos já se apresentaram para trabalhar

  • Por Jovem Pan
  • 05/12/2018 08h13
PixabayNenhum médico, entretanto, se interessou pelas 124 vagas que estão em locais de maior vulnerabilidade nos Estados do Amazonas, Pará e Amapá

Trinta por cento dos profissionais que foram selecionados no programa Mais Médicos já se apresentaram aos municípios para iniciar os trabalhos.

Os dados, que são do Ministério da Saúde, também apontam que 98,5% das 8.517 vagas abertas após a saída dos cubanos já têm interessados. Os médicos inscritos têm até o dia 14 de dezembro para encaminhar a documentação necessária.

Nenhum médico se interessou pelas 124 vagas que estão em locais de maior vulnerabilidade nos Estados do Amazonas, Pará e Amapá. 73 delas ficam em terras indígenas e 51 em cidades com 20% ou mais da população em situação de extrema pobreza.

A saída dos médicos cubanos do Brasil foi uma decisão tomada pelo governo caribenho no dia 14 de novembro. A medida veio em reação a declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro de que pretendia mudar o formato do acordo de cooperação, em vigor desde 2013.

Também nesta terça-feira (04), o Ministério da Saúde informou que 200 vagas do Mais Médicos voltarão a ser oferecidas após a desistências de profissionais. De acordo com a pasta o principal motivo relatado pelos médicos que resolveram não assumir os postos foi a incompatibilidade de horário.

Para participar do programa é exigido dedicação de 40 horas semanais, o que dificulta o exercício de outras atividades, com plantões em hospitais.

*Informações do repórter Afonso Marangoni