Após seis mortes, cigarros eletrônicos assustam EUA e podem ser proibidos

  • Por Jovem Pan
  • 14/09/2019 11h10
PixabayEm São Francisco, na Califórnia, lei já proíbe o uso dos cigarros

Os Estados Unidos consideram proibir a venda de cigarros eletrônicos com sabor. Isso porque esse tipo de cigarro costuma ser mais popular, principalmente entre os jovens, o que pode ser perigoso e estar causando uma epidemia de doenças pulmonares no país. Dados do Departamento de Saúde e Serviços Humanos mostram que mais de um quarto dos estudantes de Ensino Médio nos EUA fumou cigarros eletrônicos no mês passado.

O cirurgião-geral, Jerome Adams, que é a maior autoridade de saúde pública do país, explica que a nicotina pode prejudicar o desenvolvimento do cérebro dos adolescentes, afetando a capacidade de aprendizado, a memória e a atenção. Como funcionam por vaporização, com uma bateria que evapora um líquido feito com diversas substâncias, muitos usuários acham que essa é uma alternativa menos prejudicial à saúde do que o cigarro tradicional. Adams, no entanto, diz que isso é um mito.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA afirma que já são 380 casos de doenças pulmonares relacionadas ao uso de cigarros eletrônicos. Desde agosto, seis pessoas já morreram por causa dessas doenças. Os sintomas são parecidos com os de uma pneumonia, como tosse, falta de ar e dores no peito. Além disso, alguns pacientes tiveram febre e problemas gastrointestinais, como enjoos.

Os médicos ainda não sabem qual componente específico dos cigarros poderiam estar causando as doenças e estão investigando os casos, mas a maioria dos pacientes fumou os que tem THC, que é um componente psicoativo da maconha, enquanto outros usaram nicotina ou combinaram as duas substâncias.

O secretário do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, Alex Azar, disse que mesmo com todos os esforços do governo em controlar a venda de cigarros eletrônicos e alertar comerciantes sobre os perigos, adolescentes continuam tendo acesso aos produtos. Por isso, o governo norte-americano considera proibi-los até que eles sejam regulamentados pelo FDA, que é a agência responsável pelo controle de medicamentos e alimentos. Isso se conseguirem essa regulamentação.

A cidade de São Francisco, na Califórnia, aprovou em junho uma lei que proíbe os cigarros eletrônicos no município. Alguns lojistas ficaram preocupados. Um gerente de uma loja de cigarros na cidade de Humble, no Texas, disse que muitos clientes compram o produto há anos e não tem problemas com isso. Ele também disse que, se o governo proibir os eletrônicos, muitas pessoas vão voltar a usar os cigarros tradicionais, ou vão comprar os eletrônicos em comércios paralelos, sem nenhuma garantia de que tipos de substâncias estão consumindo.

O presidente dos EUA, Donald Trump, comentou a polêmica nesta semana. Para ele, os cigarros eletrônicos viraram um grande negócio, mas que está afetando muitos jovens. Ele ressaltou que pessoas estão morrendo e que o governo não pode deixar isso acontecer.

*Com informações da repórter Mariana Janjácomo