Apreensão de drogas no avião da FAB repercute na Europa

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 27/06/2019 10h00
Flickr/PlanaltoUm militar foi detido no aeroporto de Sevilha, na Espanha, por suspeita de envolvimento no transporte de cocaína em sua bagagem pessoal

A imagem do Brasil no exterior, que já andava em frangalhos há muitos anos, agora conseguiu ser rebaixada mais um pouco.

A vergonhosa apreensão de drogas em um avião que servia ao presidente da República ganhou ampla repercussão no noticiário internacional. Até porque é o tipo de notícia associada ao que seria um narcoestado, por isso o espanto todo com o que aconteceu.

Aqui em Londres o Financial Times tem a seguinte manchete com destaque de capa na sua versão da internet: Cocaína na Espanha coloca Bolsonaro sob pressão. A prisão é um golpe para o direitista, cujo governo está tentando endurecer as leis sobre drogas e elogia frequentemente as forças armadas brasileiras.

Segue o FT: Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, que dirige o comitê de relações exteriores senado, criticou a “narcoditadura” de Nicolás Maduro na vizinha Venezuela por supostamente traficar drogas em seus próprios aviões da força aérea.

Ainda aqui em Londres, o jornal Daily Telegraph ressalta que o segundo sargento preso com a droga sequer tentou escondê-la entre roupas ou algo do tipo. Estava tudo naturalmente armazenado dentro uma mala.

Do outro lado do Canal da Mancha, o Le Monde vai além na crítica com essa manchete: Bolsonaro abalado pelo caso “Aerococa”, depois que 39 kg de cocaína foram encontrados em um avião oficial.

O jornal francês relata a repercussão negativa nas redes sociais citando inclusive as hashtags que eu vou poupar os nossos ouvintes – mas é uma clara desmoralização da instituição representada pela presidência da República.

Na Espanha, o El País cita que este caso não é o primeiro em que militares brasileiros são presos traficando drogas e cita outros exemplos de condenados no país.

Tudo isso no mesmo dia em que a chanceler alemã, Angela Merkel, disse que vê como dramática a atual situação do Brasil.

Ela se referia sobre questões ambientais e medidas do atual governo. Merkel declarou que terá uma conversa bastante clara com Bolsonaro durante o encontro do G20.

Não será uma cúpula fácil para a delegação de Brasília.