Argentina vai congelar tarifas de celular, internet e televisão até o final do ano

Segundo o presidente Alberto Fernández, serviços são considerados essenciais, principalmente em tempos de pandemia da Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 22/08/2020 07h53 - Atualizado em 22/08/2020 07h58
EFE/ Juan Ignacio RoncoroniQuarentena na Argentina começou no dia 20 de março

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, anunciou nesta sexta-feira, 21, pelas redes sociais, que o governo vai congelar até o final do ano as tarifas dos serviços de celular, internet e televisão por assinatura. Isso porque estes serviços são considerados essenciais, principalmente em tempos de pandemia da Covid-19. A quarentena na Argentina começou no dia 20 de março.

Os comércios no País só começaram a abrir recentemente, e muita gente continua trabalhando de casa, comprando e vendendo pela internet, ou tendo aulas virtuais por zoom.  Ou seja, celular, internet e televisão – que muitas vezes antes do coronavírus poderiam ser vistos como um luxo ou uma distração – passaram a ser ferramentas fundamentais para a economia e a educação. No tweet, Fernández disse, que ao decretar essa medida, o estado vai poder garantir que a população tenha acesso a ao serviços. Além disso, afirmou que nenhuma empresa vai poder aumentar as tarifas sem autorização do governo. 

“A educação, o acesso ao conhecimento, à cultura e à comunicação são direitos básicos que devemos preservar. Por isso, ordenamos que, daqui em diante, haja planos inclusivos de prestação básica, universal e obrigatória para os que menos tem”, escreveu o presidente.

* Com informações da correspondente Monica Yanakiew