Associações de servidores da segurança criticam fala de Guedes sobre reestruturação de carreiras

Entidades afirmam que o ministro demonstra ‘profunda falta de respeito’ com a categoria

  • Por Jovem Pan
  • 23/04/2022 08h40 - Atualizado em 23/04/2022 10h28
ANTONIO MOLINA/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO Paulo Guedes Servidores da segurança pública reivindicaram o recuo do governo e criticaram a fala de Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a reinvindicação dos servidores públicos por reajuste salarial não pode ser atendida facilmente, principalmente em um ano eleitoral. Em fala durante agenda nos Estados Unidos, o ministro disse que o aumento direcionado somente a uma categoria poderia ficar caracterizado como uma tentativa de buscar votos em segmentos específicos. Neste ano, o Orçamento do governo federal reservou R$ 1,7 bilhão para conceder reajuste ao funcionalismo público. A ideia inicial era conceder o aumento somente para servidores da segurança pública. No entanto, essa possibilidade não agradou as demais categorias e o governo federal mudou a estratégia e anunciou que iria conceder reajuste linear de 5% para todos os servidores.

Imediatamente, os servidores da segurança pública reivindicaram o recuo do governo e criticaram a fala de Paulo Guedes. A Associação Nacional dos Delegados de Polícia disse que fala do ministro não corresponde com a verdade. Para a entidade, é preciso esclarecer que a reinvindicação contempla a reestruturação de carreiras. Da mesma forma, a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais também repudiou as falas de Guedes e disse que a reestruturação é permitida até 180 dias antes do final de um mandato, conforme estabelece a Lei de Responsabilidade Fiscal. Por isso, inclusive, a entidade critica o fato de que, mais uma vez, o ministro demostra “profunda falta de respeito” pelas forças de segurança brasileiras.

*Com informações da repórter Iasmin Costa