Associações do setor de cargas vão ao TCU em defesa do Decreto dos Portos assinado por Temer

  • Por Jovem Pan
  • 06/06/2018 07h48
Fotos PúblicasO decreto é investigado por ter sido eventualmente usado por Michel Temer como moeda de troca com a empresa Rodrimar

Associações ligadas à movimentação de cargas nos portos brasileiros saíram em defesa nesta terça-feira (05) dos benefícios do polêmico Decreto dos Portos, que é investigado por ter sido eventualmente usado por Michel Temer como moeda de troca com a empresa Rodrimar.

Elas ingressaram nesta terça-feira no TCU como parte interessada a esclarecer os pontos do decreto considerado positivo para o desenvolvimento do setor portuário. Ao todo, quatro entidades estão entrando com esse pedido e parte interessada nos esclarecimentos.

Segundo o presidente da Comissão dos Portos, Sérgio Salomão, o conteúdo do decreto não foi apreciado pelo plenário do TCU, mas a área técnica já questionou três pontos.

Salomão afirmou que o decreto se baseou em pareceres técnicos e jurídicos e que não há nenhum tipo de interesse político ou privado.

Sem o Decreto dos Portos, deixarão de ser investidos nos próximos cinco a dez anos R$ 23 bilhões, o que pode causar asfixia no setor portuário brasileiro.

*Informações do repórter Rodrigo Viga