Astrazeneca e Pfizer anunciam testes de vacinas contra a omicron

Nova cepa do coronavírus foi identificada na África e pode ser ainda mais perigosa do que a variante delta; especialistas temem resistência a imunizantes

  • Por Jovem Pan
  • 27/11/2021 09h58
Banco de imagens/PixabayDesenvolvimento de vacinas

A omicron é a quinta variante da Covid-19 classificada como ‘de preocupação’ pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A nova cepa do coronavírus tem preocupado autoridades no Brasil e em todo o mundo. Por isso, os laboratórios que fazem as vacinas de combate à Covid-19 disponíveis no país já começam a se mobilizar para verificar a eficácia dos imunizantes contra a nova cepa. O laboratório Biontech, que fabrica a vacina da Pfizer, já se pronunciou e disse que vai começar os testes para verificar se a proteção do imunizante é válida também contra a omicron. A previsão é de que os resultados dos testes saiam em até duas semanas. A Astrazeneca também se pronunciou e disse que também vai começar os testes e que está otimista com os resultados. Especialistas estão preocupados com o avanço da nova variante identificada na África do Sul, porque a transmissão da omicron aparenta ser maior do que a da variante delta, já que ela tem mais mutações na proteína spike. Entretanto, as análises sobre a transmissão foram feitas na África do Sul, onde apenas 24% da população está vacinada contra a Covid-19. Por isso, as investigações ainda estão sendo consideradas preliminares e muitos especialistas estão analisando a situação.

*Com informações da repórter Camila Yunes