Ataque a faca marca domingo de protestos violentos em Hong Kong

  • Por Jovem Pan
  • 04/11/2019 07h29
EFEPelo menos seis pessoas foram feridas com as facadas

Pelo 22º final de semana consecutivo, manifestantes foram às ruas de Hong Kong, neste domingo (3), para protestar contra o governo chinês. Os atos foram marcados por um ataque a faca sangrento.

Ao menos seis pessoas ficaram feridas depois que um homem desferiu golpes em manifestantes que estavam do lado de fora de um shopping em Tai Koo Shing, localizado num bairro de classe média da cidade.

Segundo a agência de notícias AFP, testemunhas disseram que o ataque ocorreu depois que o agressor gritou slogans pró-china em mandarim, língua falada neste país. Em Hong Kong, um território autônomo localizado no sudeste da china, se fala cantonês, um dialeto da família do chinês.

Um conselheiro pró-democracia teve parte da orelha arrancada depois de tentar parar o agressor que estava armado com uma faca. Segundo a polícia, três pessoas foram presas, mas não foi informado se o homem que atacou os manifestantes está entre os detidos.

Os protestos realizados no sábado (2) também foram um dos mais violentos. A polícia disparou gás lacrimogênio contra os manifestantes, assim como balas de borracha e canhões de água. Por outro lado, os integrantes do movimento pró-democracia vandalizaram a sede da agência de notícias chinesa Xinhua, assim como estações de metrô.

Entenda as manifestações

Os protestos começaram em junho, depois que a chefe do executivo, Carrie Lam, propôs um projeto de lei que permitia a extradição de pessoas para a China. Embora o texto tenha sido suspenso, não foi suficiente para diminuir a quantidade dos protestos.

Lam terá uma reunião na próxima quarta-feira (6), em Pequim, com o vice-primeiro ministro da China, Han Zheng. Desde o início dos protestos, essa será a primeira vez que eles vão se encontrar.

*Com informações da repórter Nicole Fusco