Atirador em Igreja em Campinas planejava ataque desde 2008

  • Por Jovem Pan
  • 22/12/2018 10h07
Rovena Rosa/Agência BrasilOs agentes também encontraram fotos do autor do ataque com a pistola 9 mm utilizada no crime

Diário aprendido pela Polícia Civil de São Paulo indica que o atirador Euler Grandolpho, que matou cinco pessoas na Catedral de Campinas e depois cometeu suicídio, no dia 11 de dezembro, planejava o atentado desde 2008.

Os agentes também encontraram fotos do autor do ataque com a pistola 9 mm utilizada no crime.

Além disso, foi achado um gravador no qual estavam armazenados áudios em que Euler Grandolpho fala sobre a disposição em cometer a chacina: “qualquer pessoa que tem o mínimo de consciência faria o que vou fazer. É lamentável chegar nessa conclusão, mas é o que vai acontecer”.

O autor do atentado também disse que este seria apenas um homicídio no meio de milhões e que a alma dele ficaria em paz.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (21), os delegados responsáveis pelas investigações afirmaram que existe a suspeita de que Euler Grandolpho tinha transtornos mentais.

José Henrique Ventura, diretor do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo, afirmou que em nenhum momento, o homem sinalizou que faria o ataque em um templo: “e uma coisa que para nós é muito clara que ele vinha amadurecendo para um dia explodir em algum lugar”.

De acordo com as autoridades, não há indícios de que outra pessoa tenha ajudado ou planejado o crime.

*Informações do repórter Afonso Marangoni