Atletas criticam projeto de concessão do Ginásio do Ibirapuera e buscam apoio de deputados

O projeto de concessão à iniciativa privada não cita qual seria o destino dos atletas beneficiados pelo programa

  • Por Victoria Abel/Jovem Pan
  • 24/05/2019 06h22
Divulgação/Governo de SPAlém de Maurren Maggi, o Centro de Excelência já abrigou e treinou outros 7 medalhistas olímpicos

Um grupo de atletas liderado por medalhistas olímpicos critica o projeto de lei de concessão do Conjunto Desportivo Constâncio Vaz Guimarães, também conhecido como ginásio do Ibirapuera, enviado pelo governo de São Paulo à Assembleia Legislativa. A preocupação dos atletas é com o destino do Projeto Centro de Excelência, uma espécie de internato para jovens esportistas de alto rendimento.

O projeto de concessão à iniciativa privada não cita qual seria o destino dos atletas beneficiados pelo programa. Além de utilizar o espaço do Conjunto Desportivo para treinamento, atletas de fora da cidade de São Paulo moram e se alimentam no local. O programa é do próprio governo do estado. Na última terça-feira, os atletas estiveram na Assembleia Legislativa de São Paulo para protestar contra o encaminhamento do projeto.

A proposta pretende transformar o ginásio do Ibirapuera em um complexo de eventos, com a construção de uma arena multiuso para 20 mil pessoas, além da modernização do conjunto desportivo.

O Centro de Excelência, antes conhecido como Projeto Futuro foi criado em 1984. Desde então, recebe jovens atletas de alto rendimento de todo o país. A campeã olímpica de salto em distância, Maurren Maggi, também treinou no local e é defensora do espaço.

Ela afirma não ser contra a concessão do ginásio do Ibirapuera, mas ressalta a importância de garantir a permanência do centro de treinamento. “A gente quer manter toda a estrutura do complexo com esportes olímpicos, porque daqui saíram grandes medalhas para o país. Temos que continuar brigando pelos ideias de todos os atletas que se espelham em nós”, afirma.

Além de Maurren, o Centro de Excelência já abrigou e treinou outros 7 medalhistas olímpicos, como o judoca Henrique Guimarães. Na última quarta-feira, os atletas receberam deputados estaduais da Alesp para apresentar o local. Estiveram presentes parlamentares do PSL e PSOL.

A deputada estadual Letícia Aguiar (PSL) afirma que o partido vai propor modificações no projeto de concessão, dando a garantia de manutenção do programa. “A bancada do PSL vai fazer uma emenda aglutinativa e apresentar para o governo, para que a gente possa aprovar esse projeto com responsabilidade. O esporte não é gasto, é investimento. Quem investe em esporte está investindo em saúde, segurança pública, educação e civismo”, ressalta.

Para os atletas, o Complexo do Ibirapuera possui a melhor estrutura para treino de alto rendimento do país, mesmo sendo precária.

O governo de São Paulo afirma que a intenção inicial é realocar os atletas para outros centros esportivos, como o Baby Barioni, no bairro da Água Branca, espaço que ainda aguarda por reformas.

O secretário de Esportes, Aildo Rodrigues, no entanto, também admiti a possibilidade de incluir a manutenção do Centro de Excelência na modelagem do contrato de concessão, após aprovação do projeto de lei. “É perfeitamente possível. A partir da aprovação do projeto, nós vamos começar a tratar da modelagem do contrato”, afirma.

O projeto de concessão do Conjunto Desportivo Constâncio Vaz Guimarães começou a ser discutido entre parlamentares da Alesp, nesta semana. O debate entre os deputados deve ser retomado na próxima terça-feira.